segunda-feira, junho 26, 2017

Poesia Agora - Exposição Rio de Janeiro na Caixa Cultural - 2017


Fui visitar mais uma vez meu poema na Exposição Poesia Agora, já que ele está apenas a duas estações de metrô da minha casa.
Quando estava em São Paulo eu fui, agora eu tenho a obrigação de ir mais de uma vez!

*Meu poema, desafio poético sem a letra A. (Irreconhecível)




Minha prima escrevendo.





 

terça-feira, junho 20, 2017

Inverno


Em homenagem ao inverno, que começa na madrugada desta quarta-feira, um poema que está no meu segundo livro, "Das estações":


Véspera

Por ora,

é preciso estar atento ao tempo, 
que tudo devora,
como a solidão que corrói o indivíduo.


Na escuridão, a luz frágil flui:
sol dourado que sobrevém ao sono.

Quando eu acordar,
no alvoroço do café,
já será outra estação.



(No livro "Das estações")

domingo, junho 18, 2017

Crisálida



Crisálida

Larva-palavra
presa no cárcere do eu.
O ritmo pulsa
do abismo interno,
casulo prestes a acordar,
e desata em
poema-borboleta.

Solange Firmino


(No livro "Geometria do Abismo")

domingo, junho 11, 2017

Poesia Agora no Rio de Janeiro

Quem está fazendo poesia, agora, no Brasil? 
Esse questionamento foi o ponto de partida da exposição “Poesia agora”, que abriu ontem com um sarau na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, depois de passagens bem-sucedidas pelo Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, em 2015, (onde estive) e, mais recentemente, pela Caixa Cultural em Salvador (que pedi a minha amiga para fotografar meu poema) . 

Para o curador e poeta Lucas Viriato, um dos criadores do jornal de poesia “Plástico Bolha”, o grande diferencial da mostra é sua proposta de fazer um panorama da produção poética brasileira atual. 
A “Poesia agora” traz trabalhos de mais de 500 nomes.

Eis algumas de minhas fotos.
Na entrada





No banheiro
Meu poema. Desafio poético sem a letra A.


quarta-feira, junho 07, 2017

Eu, em sépia.


















Sobriedade


Hoje estou antiga, 
mas vou sobrevivendo para assistir
e aplaudir os pores do sol
do outono. 
Divido os grãos com sabedoria,
não quero desperdício.
A musa se esconde,
por isso estou no comando.
Busco versos antigos
e pronuncio rimas esquecidas.
Sustento-me com as palavras herdadas,
não quero passar em 
branca nuvem.
Enquanto restar vida, sonho.
É como aprendo a ser lúcida
e eterna.



*No meu terceiro livro, "Das estações".

terça-feira, maio 30, 2017

Ícaro: cartão poético

Mais um cartão poético confeccionado por Carlos Machado, editor do site Alguma Poesia:

Carlos foi quem escreveu o prefácio do meu primeiro livro, Fragmentos da insônia.


O outro cartão poético está nesse link:

Quem quiser curtir o Poesia.Net no Facebook, o link é:
www.facebook.com/avepoesia


sábado, maio 27, 2017

Exposição Poesia Agora

Chegou a vez do RIO!


Depois de São Paulo e Salvador,10 de junho de 2017 tem Sarau de Abertura da Exposição Poesia Agora na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, de 16h às 21h. 


A exposição (que tem poema meu) ficará até 6 de agosto em cartaz.

 

Av. Alm. Barroso, 25 - Centro, telefone: (21) 3980-3815










quarta-feira, maio 10, 2017

Meu poema na exposição



Ainda está até 28 de maio, em Salvador.


Já foi falado aqui:


Exposição Poesia Agora


Período: de 15 de março a 28 de maio de 2017


Horário: das 9h às 18h, de terças-feiras a domingos


Local: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador (BA)


Entrada franca


Uma amiga fotografou meu poema lá:




sábado, maio 06, 2017

Livros novos



Olá, pessoal!

Já estou com meus dois livros novos de poesia, "Das estações" e "Geometria do abismo".

Quem quiser adquirir, é só entrar em contato via e-mail (solange.firmino@gmail.com), que passo os dados bancários. 
Cada um custa 25, os dois por 40.

Quem teve a oportunidade de adquirir o primeiro livro, "Fragmentos da insônia", não se arrependeu.

Abraços

segunda-feira, abril 17, 2017

Esfinge

Poema da página 29 do meu livro 'Fragmentos da insônia'.
Quem quiser ler um texto que escrevi sobre a esfinge.

Esfinge de Naxos - Estátua de mármore do santuário de Apolo em Delfos. Da coluna original de 10m,
resta o capitel jônico. Fotografia: Solange Firmino

Quem quiser ler um texto que escrevi sobre a esfinge, para a coluna Mito em Contexto,
vem aqui.